noComentários

Quais são as diferenças entre Proto-persona do marketing e persona do design?

Personas é um dos conceitos mais populares do universo criativo, para quem não conhece, esse é um termo que se refere a um personagem fictício dentro de uma empresa, ou seja, ela acaba sendo a representação ideal do seu cliente ideal, contendo todas as particularidades e jeitos que o seu cliente perfeito deve ter. 

Uma persona definida te ajuda a entender melhor o comportamento do seu público, e faz com que você monte suas estratégias baseadas justamente nesses detalhes comportamentais, o que te dá muito mais precisão na hora de montar uma campanha, oferecer um produto ou serviço, interagir com um site e por aí vai. 

Porém, é claro que não existe apenas um tipo de persona, na realidade são vários em diferentes áreas, assim como uma central de alarme de incêndio, esse é um conceito completo que possui diferentes abordagens, e pode ser usada tanto no marketing quanto no design.

De cara, pode ser até fácil saber as diferenças, porém, existe a chamada proto-persona, que pode dificultar um pouco mais as coisas, pensando nisso, no texto de hoje vamos mostrar quais são as diferenças entre proto-persona do marketing e persona do design, bora conferir? Então vamos lá!

O que é a proto-persona do marketing?

Como falamos acima, as personas nada mais são, do quem personagens fictícios que representam os usuários que interagem com a sua empresa, compram seus produtos, consomem seus serviços e por aí vai, para montá-las é claro que é preciso reunir o máximo de dados possíveis, para conseguir traçar um perfil com embasamento. 

Porém, quando falamos de proto-persona do marketing, podemos dizer que essa é uma solução “interina”, ou a escolhida pela empresa, criando a persona por sessões de brainstorming e informações coletadas dentro da própria empresa, sem a necessidade da coleta de dados, tendo uma ótica sobre como o público-alvo enxerga o seu negócio. 

Sendo assim, a proto-persona é desenvolvida através do conhecimento interno do negócio, sem o uso excessivo de dados, isso é visto como algo positivo e negativo, algumas empresas enxergam como algo positivo e preferem essa ação do que a tradicional, enquanto outras, acreditam não ser tão eficiente quanto a persona tradicional. 

Isso porque, as proto-personas até tem alguns pontos interessantes como a economia de tempo, economia financeira, simplificação e até mesmo novos conhecimentos, em contrapartida, acaba sendo uma decisão mais imprecisa, e não baseada em dados o que é claro, possui a chance de acarretar alguns erros básicos. 

É como escrever uma frase em outro idioma no seu letreiro de led, você pode usar seu conhecimento ou fazer uma consulta assertiva no Google, um é mais seguro, mas o outro economiza recursos, qual você prefere?

E persona do design o que significa?

Mas não é só no marketing que existem as famosas personas, no design também temos , porém, elas são um pouco mais diferentes, voltadas para os objetivos dos usuários, seu comportamento e pontos de fricção que possam existir na atual experiência. 

Dessa forma, diferente do marketing, você não se importa muito para os seus consumos de mídias ou preferências de compra, sendo assim, você volta praticamente todos os seus esforços, para os sentimentos das pessoas, seus gostos e preferências de maneira individualizada. 

Sendo assim, é impossível realizar uma proto-persona do design, já que aqui os dados são imprescindíveis para identificar padrões, quanto mais real e específico são os insights, mais fácil fica para os designers identificarem quem e como devem atingir. 

Afinal, quais são as diferenças entre elas?

Agora que você já sabe melhor sobre os dois termos, talvez tenha ficado um pouco mais simples de entender e debater suas diferenças, certo? Bom, a proto-persona do marketing nada mais é, do que um personagem fictício que corresponde ao seu cliente ideal, porém, ao contrário de uma persona comum, aqui não existem dados, e sim uma ótima interna da empresa, realizada em várias sessões de brainstorming que definem esse perfil de consumidor. 

Sendo assim, a proto-persona difere da persona padrão do marketing, é bom, bem diferente de uma persona de design, assim como um ventilador climatizador e um ventilador de teto, termos parecidos, mas possuem suas diferenças. 

Já a persona do design deve ser baseada totalmente em dados, sendo coletadas o máximo de informações possíveis, além disso, ela não precisa ter detalhes sobre o consumo, já que a preocupação aqui é referente ao seu perfil e suas características. 

Dessa forma, o que vale ser considerado são características mais profundas, sobre o comportamento e os gostos pessoais de maneira geral.

Em resumo, ambas são bem diferentes entre si, e caso você trabalhe ou com marketing, ou com design, recomendamos que conheça essas diferenças antes de colocar qualquer ação em prática. 

O que achou do texto de hoje? Deixe sua opinião nos comentários abaixo e não se esqueça de compartilhar com seus amigos e familiares caso tenha gostado, até a próxima!

Responder

+ 40 = 50